domingo, 30 de novembro de 2003

[ 23:49 ]

O Plic Plac já tem mais de trinta fotos arquivadas. #

[ 21:46 ]

Esta semana no Burburinho, Dorothy Parker no texto e na enquete. Burburinho-se! #

[ 13:21 ]

No New York Times de ontem o Nicholas D. Kristof listou uma série de sugestões de nomes para a invasão do Iraque: Name That War. Meus preferidos são "Bush League War", "Operation Quicksand", "Iraqnam", "Bushkrieg", "I Waged Two Wars Against Saddam and All I Got Was His Headache", "Operation Gee Whiz, This Liberation Thing Seemed a Lot Easier When We Were Drawing It Up Back at the Think Tank", "Operation Oops, We Did It Again", "King George's New Colony", "The War That Cried Wolfowitz", "The Charge of the Right Brigade", "A'bombin'nation", "Rolling Blunder", "Desert Slog" e, a melhor de todas, "Mess in Potamia". #

[ 12:30 ]

"The LoveToKnow Free Online Encyclopedia is based on what many consider to be the best encyclopedia ever written. As a research tool, this 1911 encyclopedia edition is unparalleled - even today." #

sábado, 29 de novembro de 2003

[ 18:36 ]

Ah, os sacrifícios que eu faço pela Sandra Bullock... Ontem assisti em dvd Divine Secrets of the Ya-Ya Sisterhood (EUA, 2002), da Callie Khouri (a roteirista de Thelma & Louise). Completamente dispensável. Dramédia (drama com momentos divertidos) escrita e dirigida por uma mulher, baseada nos livros de uma mulher, conta a história de cinco mulheres (seis atrizes: Ashley Judd e Ellen Burstyn interpretando o mesmo personagem, Sandra Bullock, Fionnula Flanagan, Shirley Knight, Maggie Smith), tendo um par de homens meramente como apêndices supérfluos. E toda a trama é voltada para a justificação e absolvição de uma péssima mãe alcoólatra que abandonou as filhas mais de uma vez. #

[ 17:31 ]

Hoje passei o dia na rua, acompanhando a Jade e o David nas compras de natal e aproveitando para comprar uns jeans e uns blusões para mim. Nada agradável perambular por lojas e centros comerciais repletos de gente, mas foi interessante apreciar o sol no fim da tarde batendo nas árvores de folhas amarelas e vermelhas. Temperatura: 42°F (6°C). #

sexta-feira, 28 de novembro de 2003

[ 21:03 ]

É interessante notar como alguns atores de Star Trek: The Next Generation foram engordando no decorrer das temporadas. Jonathan Frakes (Will Riker) foi o que mais se expandiu lateralmente, mas LeVar Burton (Geordi La Forge) também desenvolveu um vistoso par de bochechas. Nem Brent Spiner escapou, e seu personagem Data, que teoricamente seria um andróide de físico imutável, também foi ficando mais rechonchudo. Felizmente, os roteiros mantiveram-se livres de gorduras desnecessárias, e em sua quinta temporada a série ainda estava em ótima forma, abordando temas interessantes e polêmicos como eugenia (The Masterpiece Society), homossexualismo (The Outcast), genocídio (I, Borg) ou vida após a morte (The Next Phase). Meus episódios preferidos são Cause and Effect, onde a Enterprise fica presa num círculo temporal repetindo ad infinitum a mesma seqüência de ações (ainda que com ligeiras variações) no mesmo estilo do filme Groundhog Day (que só seria produzido no ano seguinte), e The Inner Light, onde Picard vive em meia hora uma vida completa em outro planeta, com esposa, filhos (um deles interpretado pelo filho do Patrick Stewart) e netos, deixando marcas profundas na vida real do capitão, inclusive o gosto e a habilidade pela flauta doce, tema recorrente a partir de então. #

quinta-feira, 27 de novembro de 2003

[ 19:31 ]

Tem gente que implica por eu usar a palavra "bacana", falada ou escrita. Agora achei no weblog do Eduardo Nasi um texto bacana publicado no Correio do Povo: Bacana! #

[ 16:17 ]

Para que gosta de RSS, este site tem uma série de ferramentas úteis, de um gerador de RSS a partir de HTML a um catálogo de mais de vinte mil RSS feeds: RSS Ecosystem. #

[ 15:50 ]

O almoço de thanksgiving foi, como nos anos anteriores, mais comida do que fomos capaz de comer: peru assado, purê de batatas, suflê de milho, suflê de vagem, saladas variadas, molho gravy, molho de arando, torta de maçã... "Gluttony is not a secret vice." (Orson Welles) #

quarta-feira, 26 de novembro de 2003

[ 22:34 ]

Tive uma agradável tarde consumista hoje em Arlington. Primeiro passeei pelas lojas do The Fashion Center at Pentagon City. Quando estava ficando frustrado por não ver uma só livraria entre as centenas de lojas, achei uma enorme Borders do outro lado da rua, uma das maiores livrarias que já vi aqui nos EUA, e logo em frente uma Best Buy. Depois de passar algumas horas entretido com livros, revistas, games e dvds, encontrei com a minha nova amiga Ellen para um café e vários dedos de prosa. #

[ 11:47 ]

Assisti em dvd Lilo & Stitch (EUA, 2002), desenho animado de Dean DeBlois e Chris Sanders. A história é bobinha, o roteiro é esburacado, mas o traço é muito bacana, com personagens e objetos rechonchudos. A trilha sonora também é boa, misturando música tradicional havaiana e canções do Elvis Presley. #

terça-feira, 25 de novembro de 2003

[ 16:56 ]

E a revista Rolling Stone fez sua lista dos 500 Greatest Albums of All Time. Cinco discos dos Beatles nas quinze primeiras posições: Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (1°), Revolver (3°), Rubber Soul (5°), The White Album (10°) e Abbey Road (14°). Outro que aparece várias vezes nas primeiras posições, na minha opinião exageradamente, é o Bob Dylan: Highway 61 Revisited (4°), Blonde on Blonde (9°) e Blood on the Tracks (16°). Alguns artistas mereciam posição bem melhor do que receberam, como Ramones (33°) The Doors (42°), Pink Floyd (43°), Prince (72°), David Bowie (107°) e Talking Heads (126°). Mas essa é a graça das listas, discordar delas. #

[ 15:17 ]

No mês passado destrocei impiedosamente um filme aqui no Por um Punhado de Pixels. Hoje recebi um email do diretor agradecendo: "Thanks for your kind words." Ainda não sei se foi sarcasmo ou se ele, não entendendo português, achou realmente que eu estava elogiando. #

[ 14:49 ]

Luvinhas românticas: Smittens. #

[ 14:20 ]

Traço bacana: Jeff Matsuda. #

segunda-feira, 24 de novembro de 2003

[ 23:06 ]

Foi durante a quinta temporada de Star Trek: The Next Generation que morreu o Gene Roddenberry, criador da série. Um dos últimos personagens que ele criou foi a bajorana Ro Laren (interpretada pela Michelle Forbes, de Love Bites e Escape from L.A.), interessante substituta para o Wesley Crusher e protagonista de alguns bons episódios. Outras beldades aparecem neste quinto ano, como Ashley Judd (de Double Jeopardy e High Crimes) em The Game e Famke Janssen (de GoldenEye e X-Men) em The Perfect Mate, e também rostos masculinos conhecidos, como Paul Winfield (de Star Trek: The Wrath of Khan) em Darmok e Matt Frewer (de Max Headroom) em A Matter of Time. Mas o melhor personagem da temporada é, claro, o velho Spock, que volta no episódio duplo Unification numa trama de espionagem e diplomacia envolvendo romulanos e vulcanos. É bacana ver Spock e Data juntos trocando impressões e experiências. #

[ 20:29 ]

Jogo da vez: The Sims. Comprei o pacote The Sims Double Deluxe, que vem com o The Sims original mais o editor The Sims Creator e as expansões Livin' Large e House Party. Já fiz o meu primeiro Sim evoluir através da carreira informática, de beta tester a information overlord, e agora ele vai começar a ter dinheiro para comprar os itens mais interessantes do jogo. Ah, se fosse assim tão fácil na vida real... #

[ 11:55 ]

Mais pauladas nos irmãos Wachowski: The Matrix: Devolutions. "Instead of expressing something important about humanity's place in the Universe, the Wachowskis resorted to clichés, formulaic plot devices, stock characters and stunningly conservative approaches to the science fiction genre. The brothers that we came to know and admire from the original Matrix seemed to be replaced by Hollywood hacks." Mais um trecho: "At the conclusion of Revolutions, the Matrix construct remains intact, same as it ever was. An uneasy peace has been established for a completely inexplicable reason, and the machines still clearly hold the cards. Then there are Neo's superpowers outside of the Matrix, which are never adequately explained. The movie forces viewers to suspend disbelief to the point of psychosis. It's as if we're supposed to feel stupid in not getting it - scriptwriter laziness passed off as inaccessibly deep thought." #

domingo, 23 de novembro de 2003

[ 21:19 ]

Esta semana o Burburinho relembra Titanic e traz as continuações do James Cameron na enquete. Burburinhe-se! #

[ 20:06 ]

Hoje fui ao National Museum of Natural History ver a exposição Nature's Best International Photography Awards. Muitas fotos espetaculares, ainda mais impressionantes pelas grandes dimensões das ampliações. É uma pena este material não estar disponível online. Depois fui até a National Gallery of Art ver a exposição The Age of Watteau, Chardin, and Fragonard: Masterpieces of French Genre Painting. A habilidade destes pintores é indiscutível mas para mim o valor é somente histórico, porque o estilo não me cativa. Talvez a minha mãe, como pintora, apreciasse mais que eu, pelo lado técnico. Concluindo o passeio por Washington, degustei um hamburger de filé mignon no agradável Dubliner Irish Pub, entre o Capitol e a Union Station. Belo domingo. #

sábado, 22 de novembro de 2003

[ 17:21 ]

How many more will die to make this man's rich friends richer? #

[ 11:22 ]

Da série Aniversariantes Famosos: hoje a charmosa Jamie Lee Curtis comemora 45 anos. #

sexta-feira, 21 de novembro de 2003

[ 20:25 ]

Som do dia: hoje já ouvi quatro vezes a Nona Sinfonia de Beethoven. Bom acompanhamento para o dia de completar e entregar um trabalho ao cliente. #

[ 19:35 ]

Não basta ter uma boa idéia, é preciso oferecer um bom serviço. Friendster Quickly Gathering Foes: "The key issues behind the Friendster abandonment trend, according to users, are the service's inability to do anything about its habitual server lag problems, and its growing reputation for heavy-handed moral policies and unilateral decisions it makes on behalf of its members." #

quinta-feira, 20 de novembro de 2003

[ 22:14 ]

Há uns tempos botei na minha lista da Netflix uma série de lançamentos em dvd, e agora tenho recebido o resultado daquele meu injustificado ataque de otimismo. Anger Management (EUA, 2003), do Peter Segal, apesar de ter no elenco Jack Nicholson, Marisa Tomei, John Turturro e Woody Harrelson, é uma bobagem fenomenal que combina mais com o outro nome no elenco, Adam Sandler. Só fui descobrir depois que o diretor era o mesmo de Naked Gun 33 1/3: The Final Insult e Nutty Professor II: The Klumps, o que poderia ter me preparado melhor para a tolice de Anger Management. Bem pior foi I Spy (EUA, 2002), da Betty Thomas. Não consegui assistir mais de meia hora das patetices do Eddie Murphy e do Owen Wilson, e nem a Famke Janssen me fez agüentar o filme até o final. Mais uma vez, eu deveria ter consultado o currículo da diretora, culpada de coisas como The Brady Bunch Movie e Doctor Dolittle. #

[ 13:24 ]

Terminou em empate o desafio enxadrístico entre Garry Kasparov e o computador X3D Fritz, com duas partidas empatadas e uma vitória para cada um. As derrotas foram particularmente significativas, mostrando o ponto fraco dos jogadores. Kasparov perdeu uma partida por ter cometido um erro de julgamento, coisa que um humano pode fazer mas que o computador nunca faz. X3D Fritz perdeu uma partida por ter ficado preso numa posição fechada, situação em que um computador não consegue obter vantagem mas que é favorável a um humano experiente no tabuleiro. Resta saber o que é mais fácil de acontecer no futuro, um computador capaz de bom desempenho em partidas fechadas ou um grande mestre incapaz de cometer erros. #

quarta-feira, 19 de novembro de 2003

[ 22:51 ]

Depois de um dia de muito trabalho, fui assistir Mystic River (EUA, 2003), do Clint Eastwood. As interpretações são muito boas (Sean Penn, Tim Robbins, Kevin Bacon, Laurence Fishburne, Marcia Gay Harden, Laura Linney) mas o roteiro me decepcionou. Há uma boa história no filme, que fica meio enterrada numa série de desvios desnecessários e acaba em completo anti-clímax. Estávamos num grupo de cinco pessoas, e as opiniões se dividiram: o David achou que foi o melhor filme do ano até agora, o John e a Sarah não gostaram tanto, eu e a Jade gostamos ainda menos. De qualquer forma, vale pelo elenco. #

terça-feira, 18 de novembro de 2003

[ 18:27 ]

A segunda temporada de Oz, que assisti em dvd, não trouxe grandes novidades. Alguns novos atores (incluindo LL Cool J), alguns novos diretores (incluindo Kathy Bates), mas a trama continuou basicamente a mesma, sem apresentar novos temas e somente acompanhando as desventuras da turma de condenados. Não me entusiasmou o suficiente para assistir as temporadas seguintes. Hora de ver mais Star Trek. #

[ 16:52 ]

Da série Aniversariantes Famosos: hoje sopra 50 velinhas o Alan Moore, roteirista de Watchmen, The League of Extraordinary Gentlemen, V For Vendetta, Batman: The Killing Joke, From Hell e outros quadrinhos imperdíveis. #

[ 16:25 ]

Brinquedinho bacana: World's Smallest Flying Microrobot. #

[ 16:06 ]

George Bush visita a Inglaterra e o prefeito de Londres, Ken Livingstone, não perdoa: "I actually think that Bush is the greatest threat to life on this planet that we've most probably ever seen. The policies he is initiating will doom us to extinction." (Livingstone says Bush is 'greatest threat to life on planet') #

segunda-feira, 17 de novembro de 2003

[ 21:40 ]

Da série Aniversariantes Famosos: Mary Elizabeth Mastrantonio (The Color of Money) faz 45 anos, Danny DeVito (The War of the Roses) faz 54 anos, Lauren Hutton (American Gigolo) faz 54 anos, Martin Scorsese (Taxi Driver) faz 61 anos. #

[ 20:26 ]

O Guardian Unlimited fez a sua lista dos quarenta melhores diretores do mundo. Tem nomes que indiscutivelmente merecem estar lá, tem nomes altamente questionáveis, tem nomes dos quais eu nunca tinha ouvido falar. Em primeiro lugar aparece o David Lynch, que considero interessante (meus preferidos são Blue Velvet e The Elephant Man) mas que não colocaria encabeçando a lista. Em seguida vem o Martin Scorsese, de quem também gosto (After Hours e The Color of Money) mas considero muito sobrevalorizado (com abacaxis como The Age of Innocence e Gangs of New York). Em terceiro e quarto lugares botaram Joel and Ethan Coen (que fizeram um dos meus filmes preferidos, Fargo) e Steven Soderbergh (Sex, Lies, and Videotape e Solaris são bem interessantes). O quinto colocado é o Terrence Malick, autor de um filme magnifico (Days of Heaven) e um filme terrivelmente enfadonho (The Thin Red Line). Não entendi colocarem Abbas Kiarostami, Errol Morris e Hayao Miyazaki à frente do David Cronenberg, que ficou relegado ao nono lugar, apesar de ser responsável por alguns dos filmes mais instigantes dos últimos tempos (Videodrome, Dead Ringers, Naked Lunch, Crash, entre outros). Pedro Almodovar, 15° na lista, também merecia classificação melhor (Mujeres al borde de un ataque de nervios à frente de uma lista de vários títulos interessantes). Quentin Tarantino em 17°, Paul Thomas Anderson em 21°, Spike Jonze em 25°, os três poderiam estar ligeiramente melhor colocados. Larry and Andy Wachowski em 35° parece adequado, mas é absurdo ter Walter Salles em 23° (nem precisava estar na lista) ou David Fincher em 39° (poderia estar entre os dez primeiros). E onde estão John McTiernan, Sam Mendes, Bryan Singer, Jean-Pierre Jeunet, Jonathan Demme, Rob Reiner, Brian De Palma, Ridley Scott, Lawrence Kasdan, Steven Spielberg, Roman Polanski, Christopher Nolan, Peter Jackson, Gore Verbinski... ? #

[ 16:43 ]

Remind me: why did the U.S. government invade and destabilize Iraq? #

[ 13:10 ]

Ontem eu e a Carolyn fomos assistir Love Actually (GB-EUA, 2003), do Richard Curtis. Lembra Four Weddings and a Funeral, do mesmo roteirista (agora roteirista e diretor), ampliando a estrutura de mosaico e focando menos num só casal. Bill Nighy (o vampirão de Underworld) é um divertidíssimo rock star em decadência, Hugh Grant (de Notting Hill) é um primeiro ministro em tudo diferente do Tony Blair, Colin Firth (de The Importance of Being Earnest) é um escritor traído que se apaixona por uma portuguesinha (Lúcia Moniz), Liam Neeson (de Schindler's List) é um viúvo com um filho pequeno, Emma Thompson (Oscar por Howards End) é uma esposa quase traída, e mais uma dúzia de rostos conhecidos (Keira Knightley, Laura Linney, Alan Rickman, Rodrigo Santoro, Rowan Atkinson, Billy Bob Thornton, Shannon Elizabeth, Denise Richards) formando uma teia de relacionamentos familiares, amistosos e amorosos. Gostei, apesar do excesso de otimismo típico de comédias românticas. #

domingo, 16 de novembro de 2003

[ 15:13 ]

Esta semana no Burburinho, um texto sobre A Filha do General e uma enquete sobre Star Trek. Burburinhe-se! #

sábado, 15 de novembro de 2003

[ 18:08 ]

Assisti em dvd The Core (EUA, 2003), do Jon Amiel. Quando vi o trailer na época do lançamento, não me animei a ir ao cinema. Mas agora acabei me surpreendendo. Não que se trate de uma obra-prima, mas é uma razoável aventura de ficção-científica, um pouco na linha de Armageddon. Destaque para o elenco: Hilary Swank (de Boys Don't Cry), Aaron Eckhart (de Erin Brockovich), Tchéky Karyo (de Nikita), Stanley Tucci (de Road to Perdition), Delroy Lindo (de The Cider House Rules, e que apesar do nome é bem feio) e DJ Qualls (de Road Trip, e que é mais feio que o Delroy Lindo). Apesar de toda a tecnologia envolvida nos efeitos especiais, alguns momentos da narrativa lembram clássicos dos anos sessenta, como Fantastic Voyage e Journey to the Center of the Earth, incluindo também uma homenagem a The Birds. #

[ 13:28 ]

O verdadeiro: Fundació Joan Miró. Os falsos: Gallery of Pseudo-Miro Art. #

sexta-feira, 14 de novembro de 2003

[ 21:35 ]

SurLaLune Fairy Tales: a portal to the realm of fairy tale and folklore studies featuring 26 annotated fairy tales, including their histories, similar tales across cultures, and over 1,000 illustrations. #

[ 12:39 ]

Os tentáculos da direita continuam a se espalhar pelos EUA: Shock Troops of the Right Wing. "These are heady times for the right. In quick succession they have demonstrated their ability to censor movies they oppose, prevent implementation of court decisions they resist, even halt the construction of a building that would house an organization they dislike." #

quinta-feira, 13 de novembro de 2003

[ 17:57 ]

Eu assisto os filmes do Jackie Chan por causa das cenas de ação, já que as histórias geralmente são bem fraquinhas. E Shanghai Knights (EUA-GB, 2003), do David Dobkin, que assisti em dvd, é possivelmente uma das piores. Continuação de Shanghai Noon, não consegue ter metade da graça do anterior, especialmente pela presença desinspirada do Owen Wilson. As piadas contrastando costumes dos EUA e da Inglaterra são bobas, e a idéia de incluir personagens históricos na trama, como Conan Doyle, Charlie Chaplin e Jack the Ripper, fica deslocada no roteiro. O melhor são mesmo as lutas com Jackie Chan, Donnie Yen e Fann Wong. #

[ 14:48 ]

Uma ventania espantosa está assolando a cidade. Galhos enormes aterrisando no jardim, redemoinhos de folhas secas, e um zunido forte nas janelas. Segundo os noticiários, a velocidade do vento está na faixa dos 60 km/h. O pior é que de tempos em tempos a energia elétrica é cortada, me deixando sem computador para trabalhar, sem televisão para me divertir, sem microondas para fazer chá. #

[ 12:47 ]

A administração Bush se dedica a uma série de práticas questionáveis, de privilegiar empresas poluidoras enquanto o meio-ambiente é colocado em segundo plano a diminuir os impostos dos mais ricos enquanto diminui os benefícios dos mais pobres, de reduzir direitos individuais em nome da segurança nacional a tentar reverter a legislação aos padrões de trinta anos atrás em nome da moral cristã. Mas o exemplo mais flagrante de prepotência e arrogância deve ter sido a invasão do Iraque com base numa política de ataques preventivos. Quem imaginava que os republicanos tentariam desviar os debates eleitorais para evitar esse tema espinhoso, enganou-se. Os estrategistas do partido já estão preparando uma campanha que vai usar como ponto de honra exatamente essa idéia de que é legítimo atacar quem imaginamos que possa ser uma ameaça, que Bush é um visionário ao aplicar essa política para defender o país, que seus detratores são covardes e antipatriotas. Assustador. GOP will trumpet preemption doctrine: "Faced with growing public uneasiness over Iraq, Republican Party officials intend to change the terms of the political debate heading into next year's election by focusing on the 'doctrine of preemption,' portraying President Bush as a visionary acting to prevent future terrorist attacks on US soil despite the costs and casualties involved overseas." #

quarta-feira, 12 de novembro de 2003

[ 16:26 ]

Da série Aniversariantes Famosos: dia bom para sitcoms, com David Schwimmer (co-star em Friends) fazendo 37 anos e Megan Mullally (co-star em Will & Grace) fazendo 45 anos. E a Grace Kelly faria hoje 74 anos. #

[ 15:31 ]

Assisti em dvd a primeira temporada da série Oz (EUA, 1997), criada pelo Tom Fontana. Vários rostos conhecidos: Ernie Hudson (de Ghost Busters) é o diretor da prisão, Rita Moreno (de West Side Story) é a freira-psicóloga, Edie Falco (de The Sopranos) é uma das guardas, Harold Perrineau (de The Matrix Reloaded) é o prisioneiro aleijado, J.K. Simmons (o J.J. Jameson de Spider-Man) é o prisioneiro neonazi, Rick Fox (jogador dos Los Angeles Lakers) é o prisioneiro famoso. A história é brutal e mostra não só que o sistema carcerário é cruel mas também que as ovelhas que vez por outra são colocadas lá entre os lobos só têm duas opções, desaparecer ou tornar-se lobo também. A série é interessante mas em vários momentos exagera na tentativa de mostrar os prisioneiros como vítimas do sistema. Entre a população da prisão encontram-se assassinos, traficantes, mafiosos, e até um sujeito que matou a mãe e o pai a marteladas e depois os devorou. Fica difícil simpatizar com qualquer dos personagens. Ao menos a narrativa não peca por falta de acontecimentos, e a primeira temporada teve um prisioneiro incendiado, outro enforcado, outro baleado e mutilado, outro alimentado com vidro moído, outro esfaqueado, incontáveis brigas, duas penas de morte (uma por injeção, uma por fuzilamento), e uma rebelião geral para marcar o episódio final. "Clemency. That's a fancy word for mercy. You see, the Governor can commute a death sentence. He has the power to just pick up the phone and say no. But to me, the only time the Governor shows clemency, is when he don't make that call. Cause life in prison without parole is a shitload worse than death. Death is parole. Death is the real mercy." #

[ 12:39 ]

Um quadro, um site: Girl with a Pearl Earring. #

[ 10:29 ]

Começou ontem o novo embate enxadrístico entre Garry Kasparov e um programa de computador, desta vez o X3D Fritz. O jogador humano, com as peças brancas, parecia dominar o tabuleiro mas não conseguiu mais que um empate. Mesmo que perca a série de quatro partidas, Kasparov não terá muito do que se queixar, já que recebe US$150,000 só para jogar, e mais US$25,000 se empatar ou US$50,000 se vencer. E eu não consigo ganhar uma partida nem do meu velho ChessMaster... #

terça-feira, 11 de novembro de 2003

[ 17:40 ]

The Faerie Wars Cobblestone Minefield é um joguinho online muito engraçado (humor negro, claro), com um infeliz tendo que atravessar um campo minado no estilo do velho Minesweeper, com resultados sangrentos e gosmentos. Os gatinhos usados para testar o terreno dão um toque todo especial. #

[ 12:28 ]

America 24/7: Extraordinary Images of One American Week. #

[ 10:34 ]

Da série Aniversariantes Famosos: hoje sopram velinhas vários atores, entre eles Leonardo DiCaprio (29 anos), Calista Flockhart (38 anos) e Demi Moore (41 anos). #

segunda-feira, 10 de novembro de 2003

[ 23:04 ]

Um pouco por acaso, acabei assistindo em dvd três filmes seguidos com protagonistas excêntricos. O ciclo da estranheza começou com Spider (França-Canadá-GB, 2002), do David Cronenberg. Ralph Fiennes está perfeito no papel de maluquinho, mas a grande atração é a própria narrativa, que vai e volta com flashbacks gradualmente revelando o que realmente aconteceu na infância do personagem. Bem interessante. Depois assisti Willard (EUA, 2003), do Glen Morgan (que é diretor estreante mas tem no currículo roteiro e produção de episódios da série The X Files e dos filmes Final Destination e The One). A figura estranha aqui é o Crispin Glover, num casarão povoado por uma mãe dominadora e centenas de ratos. Willard é um remake do homônimo da década de setenta (que eu nunca vi), mas mostra influência de vários outros filmes, de Psycho a Dracula. Não é entusiasmante mas tem estilo. Fechando a trinca insana, assisti May (EUA, 2002), do Lucky McKee. Começa como um drama psicológico e termina como uma divertida fábula de humor negro homenageando Frankenstein. A protagonista Angela Bettis não fica atrás dos seus colegas acima e não se envergonha em dizer: "I am weird." Acho que nunca me senti tão normal como depois de ver estes filmes. #

[ 13:36 ]

Frase do dia: "Do you believe you're fighting for something? For more that your survival? Can you tell me what it is? Do you even know? Is it freedom? Or truth? Perhaps peace? Yes? No? Could it be for love? Illusions, Mr. Anderson, vagaries of perception. The temporary abstracts of a feeble human intellect trying desperately to justify an existence that is without meaning or purpose." (Agent Smith em The Matrix Revolutions) E pensar que escolheram o personagem mais lúcido do filme para ser o bandido... #

domingo, 09 de novembro de 2003

[ 20:31 ]

Esta semana o Burburinho traz um texto sobre o fotógrafo Carleton Watkins e uma enquete com vilões do cinema. Burburinhe-se! #

[ 18:55 ]

Case for war confected, say top US officials: "An unprecedented array of US intelligence professionals, diplomats and former Pentagon officials have gone on record to lambast the Bush administration for its distortion of the case for war against Iraq. In their view, the very foundations of intelligence-gathering have been damaged in ways that could take years, even decades, to repair." #

[ 18:27 ]

Para mim, já começou o inverno. Fui almoçar com a Carolyn em Old Town e, apesar do dia ensolarado, a temperatura estava abaixo de 50°F (10°C). Depois fomos ver as exposições no Torpedo Factory Art Center, onde conversei com o simpático e talentoso fotógrafo James Steele. Ainda aproveitei para visitar uma livraria e uma loja de quadrinhos, mas quando o sol começou a se esconder e levar com ele os últimos resquícios de calor, corri para casa. Agora quero chá e cobertor. #

sábado, 08 de novembro de 2003

[ 10:32 ]

Ontem, depois de um lauto jantar (rosbife, batatas gratinadas e Montepulciano d'Abruzzo), fomos todos (Jade, David, John, Sarah e eu) ao cinema. A idéia era assistir Runaway Jury ou Mystic River, mas os ingressos estavam esgotados e acabamos vendo Kill Bill: Vol. 1 (EUA, 2003), do Quentin Tarantino. Narrativamente interessante, mas muito longo, lento, e com uma história rarefeita. Apesar de alguns momentos visualmente memoráveis (como a luta de espadas no jardim coberto de neve) e de algumas frases deliciosas ("Those of you lucky enough to have your lives take them with you! However, leave the limbs you've lost. They belong to me now."), é o pior dos quatro filmes do Tarantino. #

[ 10:11 ]

Corre a notícia que a Microsoft fez um clone do Friendster chamado Wallop. #

sexta-feira, 07 de novembro de 2003

[ 18:57 ]

Mais pauladas em The Matrix Revolutions: Shut down ("They have fallen prey to the George Lucas syndrome, who, in his recent Star Wars movies, seems to think he is writing holy scripture. Instead of using interesting ideas (such as Jean Baudrillard's theory of 'simulacra') to drive and texture the narrative, the story has got lost in all this quasi-religious rubbish. It's as if the Warchawshis' concept has been invaded by an Agent Smith virus and has proliferated out of control. In the proper usage of a much-abused word, this is pretentious. The movies (particularly numbers two and three) are pretending to mean much more than they do.") e Unplugging The Matrix ("It seems that, in conceiving their pair of sequels to The Matrix, the writing and directing team of Andy and Larry Wachowski overestimated the profundity of the original's philosophical musings."). #

[ 16:53 ]

Pebolim online: MiniBall #

[ 16:37 ]

Animação 3d: The Annoying Thing. #

[ 16:21 ]

Mais um: The Matrix Revolutions. "At the risk of understatement, The Matrix Revolutions sucks. (...) Cliched, repetitive, recycled from other movies and high on its own grandiosity (...) Neo, dude, you blew it." #

[ 16:02 ]

Não fui o único a odiar The Matrix Revolutions: Matrix Imploded: Trouble in Zion. #

[ 12:20 ]

Na semana passada, o presidente Bush disse numa entrevista que não eram necessárias mais tropas no Iraque: "General Abizaid makes the decision as to whether or not he needs more troops. I've constantly asked the Secretary of Defense, as well, when I was visiting with General Abizaid, does he have what it takes to do his mission? And he told me he does." (President Holds Press Conference) Agora o Pentágono anuncia que vai ampliar o número de soldados no Iraque: "The Pentagon has decided to dispatch thousands of Marines to Iraq early next year as part of a revised troop rotation that will swell the size of the US occupation by up to 50,000 troops during critical months when the United States hopes to hand off greater security responsibilities to Iraqis, senior defense officials said yesterday." (Number of troops in Iraq to expand) #

quinta-feira, 06 de novembro de 2003

[ 23:00 ]

Assisti em dvd Poolhall Junkies (EUA, 2002), que não é um grande filme mas é um belo pequeno filme. Histórias de sinuca, de apostas, de trambiques. O Gregory Martin co-escreveu, dirigiu, estrelou, e ainda manejou o taco sem precisar de dublê. O elenco de apoio conta com Chazz Palminteri, Rod Steiger, Christopher Walken, Alison Eastwood (filha do Clint) e Rick Schroder (o menininho chorão de The Champ). Na mesma linha de The Hustler e The Color of Money (ambos sobre sinuca) e The Cincinnati Kid e Rounders (ambos sobre pôquer). "The poolhall is a great equalizer. In the poolhall, nobody cares how old you are, how young you are, what color your skin is or how much money you've got in your pocket. It's about how you move. And I remember this kid once who could move around a pool table like nobody had ever seen. I mean, hour after hour, rack after rack, his shots just went in. The cue was part of his arm and the balls had eyes. And the thing that made him so good was he thought he could never miss." #

[ 16:04 ]

Quadrinhos via RSS: Tapestry. #

quarta-feira, 05 de novembro de 2003

[ 22:38 ]

Terminei de assistir a quarta temporada de Star Trek: The Next Generation. Alguns episódios fracos, como por exemplo QPid, onde, graças à intervenção do todo-poderoso Q, Picard se transforma em Robin Hood e a tripulação da Enterprise em seu bando de comparsas (destaque para Worf reclamando: "I'm not a merry man!"). Alguns episódios bons, como por exemplo First Contact, onde são invertidos os papéis habituais e os dirigentes de um planeta devem decidir como proceder ao serem contatados por alienígenas (neste caso, a Enterprise). Alguns episódios interessantes, como por exemplo The Host, onde são apresentados os trill, raça de simbiontes que voltará no personagem Jadzia Dax de Deep Space 9. Mas o meu preferido é The Drumhead, onde uma almirante paranóica (Jean Simmons, de Spartacus) resolve promover uma caça às bruxas na Enterprise, dando motivo a reflexões sobre o conflito entre defesa legítima do estado e autoritarismo puro. Na época deve ter parecido uma lembrança do longínquo macartismo, mas hoje serve de alerta bem atual sobre a situação orwelliana que tem se instalado nos EUA. Worf argumenta: "Sir, the Federation does have enemies. We must seek them out." Picard responde: "Yes, that's how it starts. But the road from legitimate suspicion to rampant paranoia is shorter than we might think. Something is wrong here, Worf. I don't like what we have become." #

[ 22:16 ]

Acabo chegar do cinema, onde assisti The Matrix Revolutions (EUA, 2003), dos irmãos Wachowski. Uma gigantesca patetice new age. Os efeitos especiais de primeira categoria não compensam os diálogos de quinta categoria. E as parvoíces pseudofilosóficas são indesculpáveis. Deplorável. #

terça-feira, 04 de novembro de 2003

[ 22:29 ]

Bruce Sterling arquivou seu Schism Matrix para começar um novo weblog para a revista Wired, Beyond the Beyond. Ele explica a ausência de comentários: "Note that there is no commentary allowed in my pristine, high-toned blog here. Why? Because you might be a spammer, that's why! When I have a big red anti-spam button I can push that will cause Homeland Security to arrest you immediately and deport you to Guantanamo, then you may comment. Until then, no blog-reader of mine will ever be forced to endure your lame illegal product pitches, and that goes double for you harebrained flamers and trollers." #

[ 21:11 ]

The digital playground of graphic designer, artist and illustrator Domen Lombergar. #

[ 20:28 ]

Recebi email de um leitor reclamando que eu falo pouco sobre Star Trek (ele queria que eu comentasse individualmente cada episódio de The Next Generation como fiz com a série original) e email de outro leitor reclamando que eu falo muito sobre Star Trek (ele queria que eu parasse de assistir a série e me dedicasse a coisas mais interessantes da televisão). Como diria Data: "Apologies, I seem to have reached an odd functional impasse." #

segunda-feira, 03 de novembro de 2003

[ 18:11 ]

Coupling, a divertida série candidata a sucessora de Friends, foi cancelada. Aparentemente, o público local ainda não está preparado para ver na telinha comédias com temas tão abertamente sexuais. Lamentável. #

[ 17:59 ]

Muito bacana a ilusão de tridimensionalidade nestas imagens sacolejantes: Time for Space Wiggle. #

[ 17:34 ]

Batucada digital online: Drum Line. #

[ 17:10 ]

Em quem você aposta? Alien vs. Predator. #

[ 16:53 ]

Assisti em dvd Jian Gui (Hong Kong-Tailândia, 2002), dos irmãos Pang. Parece ser moda irmãos dirigindo filmes. Lembro-me quando os irmãos Taviani (Padre Padrone) eram os únicos, depois vieram os irmãos Coen (Fargo), os irmãos Farrelly (There's Something About Mary), os irmãos Wachowski (The Matrix), os irmãos Weitz (American Pie), os irmãos Hughes (From Hell)... Jian Gui, traduzido aqui para The Eye, é uma curiosa história de fantasmas na melhor tradição chinesa. A protagonista cega recebe um transplante de córnea e passa a enxergar. Como ela nunca tinha visto coisa alguma, não percebe que algumas pessoas que vê são na verdade espíritos do além. Lembra um pouco The Sixth Sense ("I see dead people..."), mas é muito mais interessante. O final é um belo achado, dando circularidade à história e ao mesmo tempo mostrando a evolução da protagonista. #

[ 15:49 ]

Frase do dia: "A human being should be able to change a diaper, plan an invasion, butcher a hog, conn a ship, design a building, write a sonnet, balance accounts, build a wall, set a bone, comfort the dying, take orders, give orders, cooperate, act alone, solve equations, analyze a new problem, pitch manure, program a computer, cook a tasty meal, fight efficiently, die gallantly. Specialization is for insects." (Robert A. Heinlein) #

domingo, 02 de novembro de 2003

[ 21:03 ]

Esta semana no Burburinho, um texto sobre Jeff Buckley e uma enquete sobre grupos humorísticos. Burburinhe-se! #

[ 13:15 ]

Ontem tivemos nossa festa de Halloween, com cerca de vinte convidados fantasiados. Um casal de piratas, um general confederado, um coreano rastafari, uma dama romana, um gangster dos anos vinte... Eu, preguiçoso, usei como fantasia a minha discreta camisa do Homem-Aranha. A grande atração da noite foi gastronômica, como habitual. O David assou uma peça de brisket durante dez horas, uma delícia. Tivemos também coquetel de camarão, churrasquinho de frango, creme de beringela, trufas de chocolate e bolo de chocolate. Yummy! #

sábado, 01 de novembro de 2003

[ 18:43 ]

Não é um esporte olímpico mas pode ser divertido por alguns minutos: The Flying Cow. #

[ 15:11 ]

Bathsheba Grossman: digital sculptor, combining prototyping technology with metal crafting skills to create abstract geometries in space. #