quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

[ 21:20 ]

Uma observação sobre as revistas que mencionei no post anterior. Há muitos anos sou viciado em revistas. Quando morei na Europa, sempre comprava e lia várias revistas espanholas, francesas e inglesas. Aqui nos EUA, existe uma enorme quantidade de títulos para escolher e as assinaturas não são caras. Assim, já sou assinante das seguintes revistas: American Photo, Entertainment Weekly, Harper's, Mother Jones, National Geographic, Newsweek, PC Gamer, Premiere, Rolling Stone, Scientific American, Smithsonian Magazine, Sports Illustrated, Time, Utne Reader, Wired e Wizard. Em breve, pretendo assinar mais algumas. Claro que não sobra tempo para ler tudo, mas tento pegar os artigos mais interessantes de cada uma. (E depois me sinto culpado por não estar lendo todos os livros que também quero ler.) #

[ 21:12 ]

Balanço de janeiro: assisti 9 filmes, 40 episódios de séries de tv (BSG, House, Heroes, Dresden Files) e 1 peça de teatro; li pedaços de 2 livros e várias revistas; conheci três novos restaurantes de DC (Yanni's Greek Taverna, Mie N Yu, Gordon Biersch Brewery). #

[ 20:17 ]

Como gostei muito de The Illusionist, quis assistir o outro trabalho do diretor, Interview with the Assassin (EUA, 2002), do Neil Burger. A idéia é engenhosa: um documentário tosco sobre um sujeito que se apresenta como o verdadeiro assassino do presidente Kennedy, com o próprio documentarista participando da trama sem querer. A ilusão de cinejornalismo é mantida todo o tempo e o final chega a ser surpreendente. Vale mais pelo exercício de linguagem que pela própria história, mas é um filme bem interessante. #

[ 20:05 ]

Som do dia: AC/DC. Estou ouvindo Back in Black, de 1980, o primeiro álbum da banda depois da morte do Bon Scott, com clássicos como Hells Bells (que abre o disco com treze badaladas de um sino), You Shook Me All Night Long e Back in Black (que dá o tom de luto e tributo para todo o álbum). #

terça-feira, 30 de janeiro de 2007

[ 20:34 ]

Assisti em dvd Dog Soldiers (GB-Luxemburgo, 2002), o primeiro filme do Neil Marshall, diretor de The Descent. Filme misturando soldados e lobisomens, mas sem grandes surpresas. Só mesmo para fãs do gênero. #

[ 20:29 ]

Tubarão com cara de criatura de filme de sci-fi: Rare "Prehistoric" Shark Photographed Alive. #

[ 19:27 ]

Esculturas imaginativas: Toddlerpedes. #

[ 19:25 ]

Algumas expressões usadas em jornalismo online: A Glossary of Online News Terms. #

segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

[ 20:24 ]

Depois de ver o Edward Norton em The Illusionist, quis assistir novamente seu filme de estréia, Primal Fear (EUA, 1996), do Gregory Hoblit. Belo drama de tribunal, com os advogados Richard Gere e Laura Linney duelando num caso de assassinato onde o Edward Norton é o réu. Mesmo já sabendo qual será o veredito, é sempre um prazer acompanhar a trama e o tour de force do Norton (que chegou a ser indicado para um Oscar mas surpreendentemente perdeu a estatueta para o Cuba Gooding Jr). Em papéis pequenos, aparecem também John Mahoney (o pai do Frasier), a Frances McDormand (Oscar por Fargo, do mesmo ano) e o Terry O'Quinn (o Locke de Lost). "I speak. You do not speak. Your job is to just sit there and look innocent." #

[ 20:18 ]

Som do dia: Small Change, álbum de 1976 do Tom Waits, com clássicas canções de bebedeira como The Piano Has Been Drinking (Not Me) e Bad Liver and a Broken Heart. #

[ 20:09 ]

E o frio continua. Quando saí de casa esta manhã, a temperatura era 21ºF (-6ºC) com sensação térmica de 6ºF (-14ºC). #

domingo, 28 de janeiro de 2007

[ 12:03 ]

Ontem fui assistir El Laberinto del Fauno (México-Espanha-EUA, 2006), do Guillermo del Toro. Muito bom, belo par para El Espinazo del Diablo, do mesmo diretor, ambos centrados em crianças em tempo de guerra, ambos com elementos fantásticos, ambos com histórias interessantes e sem concessões às fórmulas marketeiras do cinemão dos EUA (El Laberinto del Fauno, particularmente, tem um final que dificilmente seria aprovado naqueles testes de público hollywoodianos). Fábula anti-autoritarismo onde fica difícil dizer de que lado estão os piores monstros. A criatura com os olhos nas mãos é um grande achado visual (sem trocadilhos). El Laberinto del Fauno bem merece um Oscar de melhor filme em língua estrangeira. #

sábado, 27 de janeiro de 2007

[ 10:57 ]

Uma noite no teatro. Ontem fui com a Jade e o Jeff ao Kennedy Center assistir Who's Afraid of Virginia Woolf?, do Edward Albee, com Bill Irwin e Kathleen Turner dirigidos pelo Anthony Page. O texto é brilhante, ao mesmo tempo engraçado e cruel, cruzando freqüentemente (e muitas vezes sem aviso) a fronteira entre o simulado e o verdadeiro, o real e o imaginário. A Kathleen Turner, que nos anos oitenta chegou a ser sex symbol com filmes como Body Heat e Crimes of Passion, definitivamente não envelheceu com graça ou elegância, e agora, já perto dos sessenta anos de idade, está irreconhecível fisicamente. Felizmente, continua boa atriz e se encaixa bem no papel de Martha. Quem domina a apresentação, porém, é o Bill Irwin como George, com uma interpretação low key impecável do princípio ao fim, que lhe valeu, muito merecidamente, o prêmio Tony de melhor ator em 2005. Ótimo espetáculo. #

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

[ 21:22 ]

O quarto título da lista do Stephen King é Casino Royale e o terceiro é The Departed, dois filmes que ainda não foram lançados em dvd. Coloquei-os na minha lista de espera da Netflix e vou ter que aguardar um pouco até assisti-los. Em segundo lugar, mr. King escolheu United 93, que, assim como World Trade Center, eu não pretendo assistir por achar que falta distanciamento histórico e sobra hipocrisia sensacionalista nestas produções explorando os eventos de onze de setembro de 2001. Resta-me agora o primeiro da lista, Pan's Labyrinth, ainda nos cinemas daqui. #

[ 21:13 ]

Continuo acompanhando a lista do Stephen King. O quinto lugar foi para The Descent (GB, 2005), do Neil Marshall. É um thriller bacaninha, porém me parece exagero do King dizer que se trata do "best horror movie of the year, beyond doubt". Eu gostei de várias coisas no filme, principalmente do clima de claustrofobia que o diretor conseguiu imprimir, mas também achei algumas cenas um bocado bobas, como os sustos desnecessários (para mim, a tensão é sempre superior ao susto num filme de terror) ou o finalzinho indefinido (uma praga que assola este gênero há decadas). Competente mas não entusiasmante. #

[ 20:58 ]

Hoje foi anunciada oficialmente a minha promoção no Revolution Health Group: deixo de ser producer e passo a ser group manager. #

[ 20:52 ]

Esta quinta-feira deve ser o dia mais frio do ano (ao menos até agora). Quando saí de casa esta manhã, a temperatura estava nos 16ºF (-9ºC), com um vento sinistro ameaçando arrancar as orelhas dos transeuntes. #

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

[ 21:10 ]

Fotos bacanas na National Geographic: 18th Annual Photo Contest Winners. #

[ 21:04 ]

Recortes em papel, espetaculares: Peter Callesen. #

[ 20:59 ]

Som do dia: Shakira. Estou ouvindo os dois cds mais recentes, os gêmeos Fijación Oral Vol. 1 e Oral Fixation Vol. 2, ambos de 2005. Ainda prefiro o anterior, Laundry Service, mas estes também são bons. Tem algo na voz dela que me agrada muito. #

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

[ 23:45 ]

Hoje assisti dois episódios de séries que deixei gravando. No domingo gravei a estréia de The Dresden Files, mistura de casos policiais com histórias de feitiçaria. Eu nunca li os livros do Jim Butcher, então não sei se a adaptação é fiel ao original (mas sei que transformaram a caveira falante dos livros numa espécie de gênio que mora numa caveira). Este primeiro episódio não foi particularmente entusiasmante mas mostrou que existe uma mitologia bem formada como base para a trama (algo que lembra um pouco o universo mágico de Buffy the Vampire Slayer). O protagonista Harry Dresden é interpretado pelo Paul Blackthorne, que já tinha sido vilão na terceira temporada de 24. Na segunda-feira gravei a volta de Heroes. As peças do puzzle vão se encaixando e dando a impressão que, ao contrário de Lost, vamos terminar a temporada com uma história completa. Hiro Nakamura continua sendo o personagem mais interessante da série. Peter Petrelli continua sendo o personagem mais enjoadinho da série. E agora temos também um homem invisível. Bacaninha. #

[ 20:18 ]

Som do dia: Norah Jones. Estou ouvindo Come Away with Me, o cd que levou meia dúzia de Grammys em 2002 (Album Of The Year, Best Engineered Album, Best Pop Vocal Album, Best Female Pop Vocal Performance, Record Of The Year e Song Of The Year). #

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

[ 20:12 ]

E na noite de domingo, assisti o décimo-segundo episódio da terceira temporada de Battlestar Galactica, que provoca mais uma vez a dúvida debatida desde a revelação que a Sharon (Grace Park) era uma cylon: seria a Starbuck (Katee Sackhoff) também uma cylon? Mais sobre o assunto num dos weblogs da Wired: Is Starbuck a Cylon? Biggest Question of Second Half of BSG Season. #

[ 20:00 ]

O canal Sci-Fi programou uma maratona Battlestar Galactica na semana passada, com os onze primeiro episódios da terceira temporada. Eu gravei todos e os assisti neste weekend. A série muda radicalmente de rumo ao centrar a ação num planeta, New Caprica, inicialmente colonizado pelos sobreviventes da frota e em seguida ocupado e dominado pelos cylons. Além de ser uma boa mudança de cenário (aquelas intermináveis batalhas espaciais já estavam ficando cansativas) permite a abordagem de novos temas, como resistência, colaboracionismo e genocídio (uma combinação que parece inspirada na segunda grande guerra). Interessante. #

[ 19:19 ]

Sair de casa para trabalhar de manhã cedo com neve pela rua e temperatura negativa não é muito divertido. Felizmente, agora tenho agasalho suficiente para este clima. Comprei um casaco de couro com forro de lã e acrílico, uma pequena maravilha contra o vento e o frio. Encontrei nas minhas malas um cachecol alemão que eu usava na Europa e que ainda está em excelente estado, parece novo. E até fui tirar do fundo do baú meu chapéu Prada (da fábrica paulista, que fazia chapéus em estilo Indiana Jones, não a marca italiana de moda prêt-à-porter), um fedora que eu usei muito quando morei no Rio Grande do Sul e que já tem uns vinte anos de idade mas continua bem apresentável. Indumentária ideal para intempéries inconvenientes. #

[ 09:41 ]

O site está oficialmente aberto ao público: Revolution Health. Resenha no Wall Street Journal de hoje: The Doctor's Office Gets Crowded on the Web. Press release oficial, com vídeo: Steve Case's Revolution Health Group launches its first two new products. #

domingo, 21 de janeiro de 2007

[ 23:19 ]

Saí de casa no sábado de manhã, rapidamente, para cortar o cabelo e fazer umas comprinhas, e voltei logo para o conforto do ar condicionado. Graças ao frio, resolvi passar o weekend inteiro no apartamento, descansando, lendo revistas, jogando no computador, assistindo televisão. E agora, noite de domingo, olhei pela janela e percebi que está tudo branco lá fora, a primeira neve do ano. E não deve ser a última. #

sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

[ 23:03 ]

Voltei à lista do Stephen King. Depois de dois filmes questionáveis neste top ten, Waist Deep (o mais recente que eu tinha visto em dvd) e Snakes on a Plane (que eu já tinha assistido no Brasil), foi uma agradabilíssima surpresa encontrar The Illusionist (EUA, 2006), do Neil Burger. Belo filme, com história interessante (baseada num conto do Steven Millhauser, ganhador do prêmio Pulitzer pelo seu romance Martin Dressler), roteiro bem urdido (do próprio Neil Burger), direção de arte e cinematografia impecáveis, música memorável (do sempre instigante Philip Glass), e excelentes interpretações (dos grandes Edward Norton e Paul Giamatti). Gostei muito. Recomendo. #

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

[ 22:05 ]

Terminei de assistir a segunda temporada de Battlestar Galactica (20 episódios), a série de ficção-científica da direita pós-9/11. Os inimigos têm um sistema filosófico-religioso diferente do nosso e querem a nossa aniquilação. Eles se infiltram no meio da nossa sociedade e é quase impossível identificá-los antes que causem sérios estragos. Os heróis são figuras de autoridade sem problemas em usar e abusar dessa autoridade (golpes de estado, força militar contra civis desarmados, assassinatos políticos, impunidade para amigos criminosos, etc). Não chega a ser tão direto e tão simplista como 24 mas a mensagem é basicamente a mesma: os fins justificam os meios para que as autoridades (eleitas ou não) façam o que acharem necessário para nos defender de todos os perigos (reais ou não). Melhor episódio da temporada: Scar, onde os pilotos da Battlestar Galactica competem pela honra de destruir a temida nave inimiga do título. Pior episódio da temporada: The Captain's Hand, onde a presidenta resolve proibir o aborto porque "as crianças são importantes para a sobrevivência da raça humana" (um decreto que os republicanos cristãos adorariam ver assinado aqui nos EUA). #

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

[ 21:04 ]

Entrevista com o Richard Dawkins: Atheist Richard Dawkins on The God Delusion #

[ 19:59 ]

Já passei invernos mais frios aqui mas mesmo assim não consigo me acostumar com a temperatura. Esta manhã quando sai de casa estávamos nos 24ºF (-5ºC). Quando voltei, agora há pouco, estávamos nos 22ºF (-6ºC). #

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

[ 23:04 ]

Meu sanduíche para acompanhar a entrega dos Golden Globes esta noite, batizado de Babel em homenagem ao grande vencedor:

  • duas fatias de pão de trigo integral
  • uma fatia grossa de queijo provolone
  • três fatias finas de peito de peru defumado
  • uma colher de tabule
  • mostarda dijon
    #

    [ 19:34 ]

    Dezenas de filmes curtos do Charlie Chaplin para download gratuito: Charlie Chaplin @ Internet Archive. O meu preferido é The Rink. #

    [ 19:30 ]

    UbuWeb: Film & Video tem Dziga Vertov, Man Ray, Anish Kapoor, Peter Greenaway, Jean Epstein, Marcel Duchamp, Jean Cocteau, Alexander Calder, Jorge Luis Borges, e muito mais gente dos dois lados da câmara. #

    domingo, 14 de janeiro de 2007

    [ 23:13 ]

    Jogo da vez: Sid Meier's Pirates! Eu joguei a primeira versão de Pirates! lá pelo final dos anos oitenta, e a segunda versão, Pirates! Gold, lá pelo meio dos anos noventa. Esta que comprei ontem é uma terceira versão, de 2004, com gráficos atualizados e algumas modificações no próprio jogo, tão ou mais viciante que as outras duas. Tive que trabalhar ontem e hoje, mas ainda assim arranjei um tempinho para afundar navios e saquear cidades no Caribe do século XVII. Bacana! #

    sábado, 13 de janeiro de 2007

    [ 23:02 ]

    Um novo weblog, falando sobre weblogs: 1001 Blogs. E logo no primeiro post destacaram este modesto weblog: "Se algum dia alguém resolver comparar os blogs a uma doença, o blog Por um Punhado de Pixels de Nemo Nox será considerado o paciente zero, pelo menos em sua mutação em língua portuguesa. Com um belíssimo design, as postagens no blog sempre giram entorno de cultura geral e comoum registro da vida do autor, bem como suas (des)aventuras de viver no exterior, como quando enfrentou os temíveis Vogons a fim de conseguir um visto para os Estados Unidos. Um blog sempre antenado com as novidades." Thanks! #

    [ 13:10 ]

    Muita coisa se perde ou se estraga em mudanças de uma casa para outra, de uma cidade para outra, de um país para outro. Agora que estou desencaixotando meus modestos pertences e organizando o novo apartamento, começo a dar falta disto e daquilo, dos sapatos que comprei em Lisboa, do livro do Krazy Kat, do projetor de slides, and so on. Hoje fui até a BestBuy mais próxima comprar alguns gadgets que estavam faltando no meu inventário. Saí de lá com um dvd player (até agora estava assistindo filmes e séries no meu iBook), um par de caixas de som para o meu computador (as que eu tinha aqui eram muito fraquinhas, sem amplificação), e um joguinho de estratégia (porque há muito tempo não me dedicava a este passatempo). #

    sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

    [ 21:31 ]

    Sabe o que é Foo, Gazonk ou Quux? Aqui vai um artigo interessante sobre variáveis metassintáticas: Metasyntactic Variable. #

    quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

    [ 21:14 ]

    O Robert Anton Wilson se foi hoje. O último post do seu weblog, RAW Data, é emblemático: "Various medical authorities swarm in and out of here predicting I have between two days and two months to live. I think they are guessing. I remain cheerful and unimpressed. I look forward without dogmatic optimism but without dread. I love you all and I deeply implore you to keep the lasagna flying. Please pardon my levity, I don't see how to take death seriously. It seems absurd." #

    [ 21:02 ]

    Ontem fui com a minha amiga Sara (tentar) assistir a pré-estréia do filme novo do Guillermo del Toro, Pan's Labyrinth. Eu tinha convites mas aparentemente distribuíram mais ingressos que a sala podia abrigar e muita gente ficou de fora, incluindo nós dois. Aproveitamos que estávamos em Georgetown, bairro de Washington com bons restaurantes, e fomos jantar no Mie N Yu, que mistura comida da Ásia, do Oriente Médio, do norte da África e do Mediterrâneo. Comemos coisas interessantíssimas. O Thai Pu Pu Grille traz costeletas de porco grelhadas com molho coreano, camarão empanado, churrasquinho de vitela, tempura vegetariano, e um molho de abacaxi assado levemente picante. O Banana Pesto Hummus é basicamente o que o nome diz, um hummus (pasta de grao-de-bico) mesclado com banana e pesto (pasta de manjericão e queijo pecorino). Yummy! #

    quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

    [ 23:45 ]

    O Revolution Health Group no Jornalistas da Web: Novo portal de saúde aposta em rede social. #

    [ 23:40 ]

    Ontem assisti o reinício da temporada de House (reinício estranho, porque o próximo episódio só será exibido daqui a três semanas). O duelo de personalidades entre o protagonista e o policial Michael Tritter (interpretado pelo David Morse) parece ter chegado a um final, não tão satisfatório para o doutor House como a vitória obtida sobre seu adversário anterior, o magnata Edward Vogler (interpretado pelo Chi McBride). Estas batalhas de egos são interessantes e servem de contraponto aos mistérios médicos de cada episódio. Acho que o Hugh Laurie merece ganhar mais um Golden Globe na próxima semana. #

    terça-feira, 09 de janeiro de 2007

    [ 20:26 ]

    Agora que a casa já está um pouco mais organizada e os livros quase todos nas estantes, quero voltar a ler mas horas vagas (que atualmente têm sido poucas). Voltam para a minha mesinha de cabeceira Super-Heróis e a Filosofia (Superheroes and Philosophy, Editora Madras, 2006), que eu tinha começado a ler no Brasil em outubro de 2006, e The Best Japanese Science Fiction Stories (Barricade Books, 1997), cuja leitura eu tinha interrompido em setembro de 2003. #

    segunda-feira, 08 de janeiro de 2007

    [ 22:13 ]

    Terceira recomendação de leitura de hoje: David Bowie faz 60 anos. Conheça 60 fatos da sua carreira. #

    [ 22:11 ]

    Segunda recomendação de leitura de hoje: Star Trek: The Animated Series. #

    [ 22:09 ]

    Primeira recomendação de leitura de hoje: George Bush vs. Spider-Man. #

    domingo, 07 de janeiro de 2007

    [ 23:40 ]

    Demorou, mas finalmente meu novo apartamento tem televisão (via RCN) e internet (via Verizon). Aos poucos, sem pressa, vou me organizando. #

    sexta-feira, 05 de janeiro de 2007

    [ 23:49 ]

    A região onde estou morando agora tem dezenas de restaurantes de nacionalidades variadas, e planejo visitar vários deles. O primeiro foi o Yanni's Greek Taverna nesta sexta-feira, com o John e a Sara Gorman. O lugar é pequeno e um pouco apertado, mas o menu é bom. Comemos tzatziki com souvlaki e conversamos muito. #

    quinta-feira, 04 de janeiro de 2007

    [ 22:38 ]

    Assisti em dvd a primeira metade da segunda temporada de Battlestar Galactica. Continuo não simpatizando muito com os protagonistas (políticos religiosos e milicos arrogantes) mas continuo interessado na história. O pior episódio destes dez foi o patético Final Cut, onde a repórter D'Anna Biers (Lucy Lawless, mais conhecida como Xena: Warrior Princess) faz um documentário que acaba basicamente absolvendo os milicos da série de todos os seus erros (incluindo terem disparado contra civis desarmados) porque, afinal, suas intenções são boas. O melhor episódio foi o último, Pegasus, com a entrada em cena da almiranta durona Helena Cain (Michelle Forbes, que foi a bajorana Ro Laren em Star Trek: The Next Generation). A segunda metade desta temporada promete conflitos interessantes. #

    quarta-feira, 03 de janeiro de 2007

    [ 21:45 ]

    O site onde estou trabalhando já tem uma versão preview: Revolution Health. É preciso se cadastrar mas o processo é rápido e gratuito. #

    [ 21:32 ]

    Não entendi o Stephen King ter colocado Waist Deep (EUA, 2006), do Vondie Curtis-Hall, em oitavo lugar na sua top ten list. Não chega a ser um filme ruim, mas tampouco apresenta grandes qualidades para justificar a inclusão numa lista deste tipo. Tyrese Gibson (de Flight of the Phoenix) é o bad guy tentando se regenerar mas que agora precisa a voltar a ser bad guy para salvar o filho raptado. Meagan Good (de Venom) é a bad girl interessada em dinheiro e vingança mas que acaba se apaixonando pelo bad guy. Além disto, muitos tiros e algumas perseguições de automóvel, mas nada que faça o filme merecer figurar entre os melhores do ano. #

    [ 21:17 ]

    Continuo sem internet e sem tv a cabo no apartamento. As respectivas empresas prometem a instalação mas não cumprem os prazos. Minha pilha de emails para responder começa a se transformar num monstro ameaçador. #

    terça-feira, 02 de janeiro de 2007

    [ 20:09 ]

    O filme seguinte na lista do Stephen King, em nono lugar, foi The Three Burials of Melquiades Estrada (EUA, 2005), do Tommy Lee Jones. A primeira parte é construída com vários flashbacks (muitas vezes não fica imediatamente claro que são flashbacks, o que torna a narrativa um pouco confusa) mostrando quem era o tal Melquiades Estrada e como ele morreu. A segunda parte é mais como um road movie (sem automóveis mas com cavalos) onde o melhor amigo da vítima e o assassino levam o cadáver do Texas ao México para ser enterrado. No final, o que poderia ser uma virada genial na trama acaba por ficar sem explicação, o que, juntamente com a longa duração do filme, não deixa de ser um pouco frustrante. Mesmo assim, há muita coisa interessante em The Three Burials of Melquiades Estrada (particularmente o episódio com um cego vivendo sozinho nas montanhas, seqüência suficientemente rica para ser um curta-metrgem). #

    segunda-feira, 01 de janeiro de 2007

    [ 22:01 ]

    No sábado comprei doze estantes de livros na Ikea, e hoje passei o dia inteiro montando as prateleiras e povoando-as com centenas e centenas de volumes. Agora estou todo dolorido, principalmente nas pernas (pelo constante abaixa-levanta) e no polegar direito (que ficou prensado entre uma estante e outra). E ainda tenho caixas espalhadas por todos os lados com mais livros esperando pelo seu lugar. #

    [ 21:57 ]

    O Stephen King publicou uma lista dos seus filmes preferidos de 2006, e resolvi assistir todos que já estão disponíveis em dvd. Comecei com o décimo-lugar, The World's Fastest Indian (EUA-NZ, 2005), do Roger Donaldson (o mesmo diretor de No Way Out e The Recruit). É a história do Burt Munro, velhote neozelandês que já quebrou vários recordes de velocidade com sua motocicleta mambembe, modificada por ele mesmo com peças fabricadas numa oficina de fundo de quintal. O roteiro é bacaninha, e o destaque é a perseverança do protagonista, equilibrada entre a quase obsessão com a motocicleta e a vontade de aproveitar bem a vida. Anthony Hopkins interpreta Munro magistralmente, criando um perfil bem diferente de seus personagens anteriores mais famosos (como o serial killer de The Silence of the Lambs ou o mordomo de The Remains of the Day). O dvd traz também um documentário dirigido pelo Donaldson em 1971, onde podemos ver o verdadeiro Munro em ação e comprovar que várias frases do roteiro saíram diretamente dos seus depoimentos. #