sexta-feira, 31 de agosto de 2007

[ 21:12 ]

Balanço de agosto: assisti 10 filmes e 62 episódios de séries (incluindo três temporadas completas de Stargate Atlantis); ouvi 3 audiobooks (The Adventures of Huckleberry Finn, Harry Potter and the Sorcerer's Stone, Harry Potter and the Chamber of Secrets). E só. #

[ 20:53 ]

Terminei de assistir a terceira temporada de Stargate Atlantis. Alguns episódios muito bons, como The Real World (Weir acorda num hospital psiquiátrico e é informada que todas as aventuras em Atlantis só aconteceram na sua imaginação), McKay and Mrs. Miller (McKay reencontra sua irmã e, logo em seguida, um McKay de outro universo), The Tao of Rodney (McKay ganha super-poderes mas tem pouco tempo para usá-los), e Sunday (história narrada alinearmente e com uma morte surpreendente no final). Estou pronto para a quarta temporada, que deve ter a volta da Amanda Tapping como Samantha Carter e que vai começar com a cidade flutuando no espaço sideral. #

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

[ 22:58 ]

Ray Bradbury e Ray Harryhausen, amigos há meio século, conversam sobre fantasia e ficção-cinetífica no cinema: Ray Bradbury and Ray Harryhausen reunite to share remembrances of two legendary lives. #

[ 22:52 ]

Acordar cedo nunca foi uma das minhas atividades preferidas. Agora descubro que isso tem nome e que sou uma B-person. Tem até uma associação lutando por horários mais apropriados para a nossa turma. Não deixe de ler os 10 commandments of B-society. #

[ 22:40 ]

Hoje toda a equipe da Revolution Health (me included) foi ao Club Five comemorar o 5 in 5: cinco milhões de visitantes únicos no quinto mês de operações do site. #

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

[ 22:04 ]

Assisti em dvd Happy Feet (EUA-Austrália, 2006), do George Miller. História bem intencionada (a mensagem ecológica fez um bom par com An Inconvenient Truth, garantindo Oscars para os dois), animação competente, vozes bem escolhidas (Elijah Wood, Robin Williams, Hugh Jackman, Nicole Kidman, Hugo Weaving), mas o que prende a atenção mesmo é a oportunidade inusitada de ver pingüins dançando e cantando (de Queen a Prince). Bacaninha. #

terça-feira, 28 de agosto de 2007

[ 20:39 ]

Som do dia: Wendy Carlos. Seguindo com meu plano de comprar em cd alguns álbuns que eu tinha em vinil, adquiri The Switched-On Boxed Set, caixa que reúne as gravações de Switched-on Bach, The Well-Tempered Synthesizer, Switched-on Bach II e Switched-on Brandenburgs, mais faixas adicionais, mais as notas originais, mais um livrinho com textos e fotos. Eu descobri estes discos quando ainda era um adolescente fascinado por teclados eletrônicos, no tempo em que a Wendy Carlos ainda era Walter Carlos. É muito bacana ouvir tudo isto de novo e perceber que Bach e sintetizadores continuam sendo uma mistura muito agradável. #

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

[ 22:21 ]

Assisti em dvd Disturbia (EUA, 2007), do D.J. Caruso (o mesmo diretor de The Salton Sea e Taking Lives). Thriller razoável sobre um adolescente (Shia LaBeouf) que suspeita que seu vizinho (David Morse) é um serial killer. A referência óbvia é o clássico hitchcockiano Rear Window: James Stewart não podia sair do apartamento porque tinha a perna quebrada, Shia LaBeouf não pode sair da sua casa suburbana por estar em prisão domiciliar; Stewart manda a namorada no apartamento do suspeito e fica monitorando com uma câmara fotográfica, LaBeouf manda o amigo na casa do vizinho e fica monitorando com computador, telefone e videocâmara; e assim por diante. Claro que Disturbia não tem o charme ou a precisão de Rear Window, mas ainda assim é bacaninha. #

domingo, 26 de agosto de 2007

[ 22:02 ]

Tenho aproveitado as caminhadas de volta para casa todas as tardes para ouvir audiobooks no meu iPod, e já terminei Harry Potter and the Chamber of Secrets, da J.K. Rowling. Só não é tão bom quanto o primeiro volume da série por ser um pouco repetitivo, tanto em trechos que tentam explicar o episódio anterior para quem não leu o livro como na fórmula narrativa (Harry acaba enfrentando o vilão num subterrâneo misterioso depois de ter chegado lá com ajuda dos amigos que ficaram para trás). Novos personagens entram em cena, alguns interessantes como a Moaning Myrtle (fantasma de uma menina que mora no banheiro da escola) ou Lucius Malfoy (pai do Draco), outros um pouco irritantes como o Gilderoy Lockheart (o novo professor charlatão de Defesa Contra as Artes das Trevas) ou o Dobby (uma espécie de Jar Jar Binks do universo potteriano). No final, há uma tentativa de amenizar a divisão dos personagens em castas, com Dumbledore explicando que o que importa mesmo são as escolhas de cada um ("It is our choices, Harry, that show what we truly are, far more than our abilities."). Mas logo em seguida diz que "only a true Gryffindor could have pulled that out of the hat", referindo-se à espada que Harry empunha na batalha final e reforçando a idéia de qualidades inatas. #

sábado, 25 de agosto de 2007

[ 19:15 ]

Som do dia: Bud Powell. Pianista primoroso, bebopeiro bacanésimo. Passei o dia ouvindo os quatro cds da caixa Tempus Fugue-It, que tem gravações de 1944 a 1950, com participações de, entre outros, Dexter Gordon, Max Roach, Charlie Parker, Miles Davies e Sonny Rollins. Ótima trilha sonora para o simples porém saboroso camarão bebop que foi o meu almoço de sábado: camarões graúdos, cozidos sem casca, refogados em azeite de oliva com orégano, muito coentro e um pouco de shoyu. Yummy! #

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

[ 22:57 ]

Assisti em dvd Stay (EUA, 2005), do Marc Forster. Começa com um mistério razoavelmente interessante mas descamba rapidamente para uma resolução óbvia e bem bobinha. O bom elenco (Ewan McGregor, Naomi Watts, Bob Hoskins) e o bom diretor (o mesmo de Finding Neverland e Stranger Than Fiction) não compensam o roteiro decepcionante. #

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

[ 21:05 ]

Já me perguntaram como uma banda obscura como o Triumvirat, que mencionei aqui no início da semana, pode ter sido uma das minhas preferidas na década de setenta. Pois foi mais ou menos assim... Em 1975, o Rick Wakeman foi ao Rio de Janeiro e tocou no Maracanãzinho. Eu, na época com treze anos e fã do Jules Verne, fiquei encantado com as partes de Journey to the Centre of the Earth que a Rede Globo exibiu. Não satisfeito com as cópias em fita cassete que passavam de mão em mão pelo colégio, resolvi que era hora de gastar minha mesada com algo diferente de livros e revistas e fui comprar meu primeiro LP, em glorioso vinil. Como o disco de inspiração verniana estava esgotado, comprei o álbum anterior do Wakeman, The Six Wives of Henry VIII, ainda melhor, completamente instrumental. Logo que juntei mais dinheiro, voltei à loja para buscar Journey to the Centre of the Earth e The Myths and Legends of King Arthur and the Knights of the Round Table, e enquanto o Wakeman não produzia mais fui descobrindo alguns congêneres, como Emerson, Lake & Palmer, Focus e Triumvirat. Meus álbuns preferidos da banda alemã são o segundo, o terceiro e o quarto (Illusions on a Double Dimple, Spartacus e Old Loves Die Hard), mas acabei comprando a coleção completa pelo valor sentimental. #

[ 20:42 ]

Como a terceira temporada de Stargate Atlantis ainda não foi publicada em dvd e na televisão ainda estão reprisando a segunda temporada, fui catar os episódios faltantes pelas ruelas menos iluminadas da internet. Já comecei a assistir, para ficar pronto para a estréia da quarta temporada no final de setembro. #

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

[ 22:35 ]

Assisti em dvd Curse of the Golden Flower (Man Cheng Jin Dai Huang Jin Jia, China-HK, 2006), do Zhang Yimou. Drama histórico com cinematografia magnífica e direção de arte deslumbrante, sobre uma família imperial com segredos terríveis. Yun-Fat Chow (de Crouching Tiger, Hidden Dragon) e Li Gong (de Memoirs of a Geisha) estão muito bem nos papéis principais, mas quem brilha mesmo é o diretor, completamente à vontade num estilo que já nos deu Red Sorghum (leão de ouro no festival de Berlim), Raise the Red Lantern (leão de prata no festival de Veneza), e mais recentemente Hero (indicado para Golden Globe e Oscar de filme estrangeiro) e House of Flying Daggers (indicado para Golden Globe de filme estrangeiro). Bacana. #

terça-feira, 21 de agosto de 2007

[ 21:19 ]

Som do dia: Triumvirat. Comprei a coleção completa de cds da banda alemã que era uma das minhas preferidas na década de setenta (principalmente por causa dos teclados do Jürgen Fritz). Estou recordando Mediterranean Tales (1972), Illusions on a Double Dimple (1973, aquele com a capa do ratinho saindo do ovo), Spartacus (1975, aquele com a capa do ratinho dentro da lâmpada), Old Loves Die Hard (1976, aquele com a capa do ratinho no canto da parede), Pompeii (1977), A La Carte (1978) e Russian Roulette (1979). #

[ 21:04 ]

Comecei mais um audiobook, Harry Potter and the Chamber of Secrets, da J.K. Rowling. #

domingo, 19 de agosto de 2007

[ 20:48 ]

Terminei a segunda temporada de Stargate Atlantis. Continuo gostando. Boas tramas de ficção-científica (como Aurora, com a tripulação de uma nave espacial vivendo em animação suspensa e presa a uma simulação da própria nave, ou Trinity, com McKay tentando recriar um experimento de outra civilização para gerar energia quase infinita) alternadas com boas tramas de intriga política (como Coup d'Etat, um jogo de gato e rato com os genii, ou Allies, uma negociação tensa com os wraith). Pior episódio da temporada: Critical Mass, onde a doutora Weir, na esperança de localizar uma bomba, aprova a tortura de um suspeito, com aprovação da milicada. Melhor episódio da temporada: Grace Under Pressure, com McKay preso numa nave no fundo do oceano e conversando com uma Samantha Carter criada pela sua própria imaginação apavorada. #

sábado, 18 de agosto de 2007

[ 19:42 ]

O InterNey lista os Top 100 blogs brasileiros segundo o Pagerank e os Backlinks. Eu sempre me espanto quando este modesto weblog aparece em listas destas, porque para mim este espaço continua sendo pouco mais que meu livrinho de anotações, sem optimizações ou monetizações. Mas é bacana ver que tem gente lendo e linkando. Thanks! #

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

[ 23:41 ]

Assisti o segundo episódio do novo Flash Gordon, e já desisti da série. É tudo muito tosco: roteiro tosco, interpretações toscas, diálogos toscos, cenários e figurinos toscos, efeitos visuais toscos... Vou ter que reler os quadrinhos do Alex Raymond para tentar esquecer este Flash Gordon tosco. #

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

[ 21:21 ]

O Viktor Chagas avisa por email que sua monografia A Blague do Blog se transformou no décimo-oitavo volume dos Cadernos da Comunicação (série Estudos) da Prefeitura do Rio de Janeiro. Ainda não li o trabalho (que em breve será disponibilizado para download gratuito), mas aparentemente sou citado nele. Thanks! #

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

[ 22:23 ]

Terminei o audiobook Harry Potter and the Sorcerer's Stone. Divertido, bem escrito (pela J. K. Rowling, claro), muito bem interpretado (pelo Jim Dale). Apesar disto, algumas coisas na história ainda me incomodam. Uma delas é a divisão dos personagens em castas (muggles e wizards) e subcastas (Gryffindor, Slytherin, Hufflepuff e Ravenclaw) predeterminadas e sem abertura para qualquer tipo de escolha. Outro incômodo, possivelmente decorrência do primeiro, é o modelo de herói predestinado: Harry não é o indivíduo que se distingue por decisões acertadas ou pelo esforço extraordinário, pelo contrário, suas habilidades são naturais e inerentemente superiores, do controle da vassoura voadora ("and in a rush of fierce joy he realized he'd found something he could do without being taught — this was easy, this was wonderful") ao poder de resistir aos feitiços de Valdemort ("No one knows why, or how, but they're saying that when he couldn't kill Harry Potter, Voldemort's power somehow broke — and that's why he's gone."). Uma visão de mundo ultrapassada pelo menos desde os tempos da revolução francesa. (Mais sobre isto no meu comentário sobre o filme de 2001: Harry Potter and the Sorcerer's Stone) #

terça-feira, 14 de agosto de 2007

[ 23:29 ]

O velho Guide to Springfield USA agora tem uma versão interativa. #

[ 23:17 ]

Jogo da vez: Avernum 3. Agora é possível sair das cavernas e explorar a superfície, o que abre um mapa gigantesco para ser explorado, possivelmente uma área de jogo maior que Avernum 1 e 2 combinados. #

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

[ 22:43 ]

Comecei a assistir em dvd a segunda temporada de Stargate Atlantis. Trocaram um personagem quase inútil, o tenente Ford (Rainbow Sun Francks) por um novo membro da equipe um pouco mais interessante, o alienígena rastafari Ronon Dex (Jason Momoa). Entrou em cena também mais um milico, o comandante da espaçonave Daedalus, coronel Steven Caldwell (Mitch Pileggi, o Skinner de The X-Files). E o melhor personagem continua sendo o geek-mor Rodney McKay (David Hewlett), genial, infantil, arrogante, medroso, heróico, elemento importantíssimo em quase todos os roteiros da série. #

domingo, 12 de agosto de 2007

[ 12:55 ]

Assisti em dvd The Astronaut Farmer (EUA, 2006), do Michael Polish (o mesmo diretor de Northfork). Billy Bob Thornton é o astronauta do título, ex-piloto que não teve chance no programa espacial e que agora construiu seu próprio foguete no celeiro da fazenda e quer entrar em órbita por conta própria. Ao mesmo tempo drama familiar e fábula sobre a luta do indivíduo contra o estado. Bacaninha. #

sábado, 11 de agosto de 2007

[ 21:22 ]

Ontem começou uma série nova no Sci-Fi Channel: Flash Gordon, recriação do clássico personagem dos quadrinhos do Alex Raymond. A história até tem algumas boas idéias, como fazer as viagens serem interdimensionais em vez de intergalácticas ou dar ao protagonista o objetivo de encontrar o pai desaparecido, mas a produção é tão simplória e o elenco tão fraco que o resultado final fica entre o tosco e o constrangedor. Eric Johnson (de Smallville) faz um Flash Gordon aceitável, Gina Holden (de Final Destination 3 e The Butterfly Effect 2) é uma Dale Arden sem graça, Jody Racicot (também de Final Destination 3) não convence como dr. Zarkov atrapalhado, Anna Van Hooft (que eu nunca tinha visto) não tem carisma ou talento para ser a princesa Aura, e ainda foram arranjar um canadense, John Ralston (de Earthstorm) para interpretar o pior imperador Ming da história, nem oriental, nem impiedoso, nem memorável. Pfff... #

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

[ 22:31 ]

Completei o jogo Avernum 2: recuperei os três cristais dos vahnatai, destruí a máquina de teletransporte do império, e derrotei o über-vilão Garzahd. Esta segunda parte da trilogia foi tão divertida quanto a primeira. Em breve estarei jogando Avernum 3. #

quinta-feira, 09 de agosto de 2007

[ 20:25 ]

Minhas aventuras com audiobooks entram agora em fase Harry Potter, depois das recomendações insistentes de várias colegas de escritório. Vou tentar seguir a série inteira na versão narrada pelo premiadíssimo Jim Dale, que é um narrador espetacular e faz vozes e sotaques variados. Comecei, evidentemente, com Harry Potter and the Sorcerer's Stone e estou achando divertido. #

quarta-feira, 08 de agosto de 2007

[ 22:15 ]

Assisti em dvd The Good Shepherd (EUA, 2006), do Robert De Niro (é o segundo filme que ele dirige, depois de A Bronx Tale). História de espiões, da elite dourada das universidades estadunidenses às trincheiras secretas da segunda grande guerra (na OSS) e da guerra fria (na CIA). Interessante mas lento, muito lento, e longo, muito longo. Outra coisa que incomoda um pouco são os personagens que aparentemente não envelhecem apesar da trama avançar por anos e anos, especialmente com o Matt Damon como pai do Eddie Redmayne, que é só doze anos mais novo que ele. Boas interpretações do William Hurt, do Michael Gambon, da Angelina Jolie, e do próprio De Niro. #

terça-feira, 07 de agosto de 2007

[ 20:40 ]

Terminei o audiobook The Adventures of Huckleberry Finn, do Mark Twain. Bacaninha, usa as aventuras do menino que foge com o escravo para comentar temas da época como rixas mortais entre famílias inteiras e como vigaristas que andavam de cidadezinha em cidadezinha se passando por médicos ou por religiosos. E, claro, a escravidão é um assunto que envolve o livro inteiro, mas de forma sutil, sem discursos moralistas, mostrando a visão de um menino inculto e doutrinado pelos costumes da sociedade escravocrata sulista. Como aventura infanto-juvenil, The Adventures of Huckleberry Finn não é tão bom quanto The Adventures of Tom Sawyer, mas como sátira social é bem melhor que o primeiro livro da série. #

segunda-feira, 06 de agosto de 2007

[ 21:24 ]

Assisti em dvd Perfume: The Story of a Murderer (Alemanha-França-Espanha, 2006), do Tom Tykwer (o mesmo diretor de Run, Lola, Run). Começa com fino humor negro, transforma-se em thriller, e depois dá uma guinada para o realismo mágico. Tem Dustin Hoffman e Alan Rickman, e ainda a bonitinha Rachel Hurd-Wood. Gostei. A história é particularmente interessante pelo seu tom amoral, que deve incomodar muita gente. #

[ 21:08 ]

O André Dahmer criou o Grande Mapa Dahmer da Blogosfera Brasileira. Este modesto weblog está lá, quase no centro do mapa, uma ilhota cercada de vizinhos interessantes. Thanks! #

domingo, 05 de agosto de 2007

[ 22:13 ]

Neste weekend assisti em dvd a primeira temporada completa de Stargate Atlantis. A fórmula é muito parecida com a de Stargate SG-1. O major John Sheppard (Joe Flanigan) ocupa o papel central de milico aventureiro, da mesma forma que o Jack O'Neill em SG-1. O doutor Rodney McKay (David Hewlett) é o gênio científico de plantão, da mesma forma que a Samantha Carter em SG-1. A Teyla Emmagan (Rachel Luttrell) é a extraterrestre guerreira, da mesma forma que o Teal'c em SG-1. E a doutora Elizabeth Weir (Torri Higginson) combina as funções de líder da equipe, como o general Hammond em SG-1, e de negociadora com talentos e sensibilidades associadas às ciências humanas, como o Daniel Jackson em SG-1. Ah, claro, temos também uma espécie alienígena como grande ameaça à humanidade, agora os wraith, vampiros intergalácticos com aparência de banda de heavy metal. A receitinha funciona bem, com alguns episódios quase no mesmo nível dos bons tempos de Stargate SG-1, como Poisoning the Well (com debates sobre ciência e ética) ou Before I Sleep (com dois tipos de viagem no tempo). Uma das graças da série é ser assumidamente geek, com várias referências a Star Trek (incluindo o médico da série, o doutor Carson Beckett, que tem o sotaque escocês do Scotty e que gosta de parafrasear o Bones dizendo coisas como "I'm a doctor, not a pilot"), jogos com números primos, testes da Mensa, etc. Bacaninha. #

sábado, 04 de agosto de 2007

[ 22:24 ]

Assisti em dvd The Host (Gwoemul, Coréia, 2006), do Joon-ho Bong. A história e as interpretações são um bocado toscas, mas o monstro é umas das melhores criaturas inventadas para o cinema nos últimos tempos. Desenvolvido pela Orphanage Inc, ele tem movimentos muito interessantes, da agilidade ao se locomover embaixo das pontes à atrapalhação ao tentar manobrar com rapidez em outros tipos de terreno. #

sexta-feira, 03 de agosto de 2007

[ 22:49 ]

Hoje tivemos happy hour patrocinada pela empresa, no Fly Lounge. Outros lugares ao redor do escritório onde já fizemos eventos como este incluem The Big Hunt, Café Citron, Five e Ozio. #

[ 22:40 ]

Som do dia: coletâneas com C. Comprei três cds da Putumayo, todos com títulos começando com a letra C. Congo to Cuba (na mesma linha de Buena Vista Social Club), The Caribbean (bem mais animadinho) e Cajun (na vizinhança do zydeco). Supimpa. #

quinta-feira, 02 de agosto de 2007

[ 23:39 ]

Ganhei ingressos gratuitos e fui assistir Goya's Ghosts (EUA-Espanha, 2006), do Milos Forman. Roteiro interessante e com inusitado (do Jean-Claude Carrière e do próprio Forman), com Goya (Stellan Skarsgård) como testemunha de uma história quase bizarra envolvendo um padre da inquisição (Javier Bardem) e uma jovem burguesa (Natalie Portman) num período de grandes transformações na Espanha. Poeticamente cruel. #

quarta-feira, 01 de agosto de 2007

[ 21:00 ]

Assisti Evan Almighty (EUA, 2007). O filme é até bem feitinho, mas a história é uma bobagem colossal. Vale lembrar que o diretor Tom Shadyac é o mesmo de comédias horríveis como Ace Ventura: Pet Detective e The Nutty Professor e de baboseiras místicas como Dragonfly e Bruce Almighty). Evan Almighty consegue ser as duas coisas ao mesmo tempo. #